O presidente Joe Biden revogou na quarta-feira as ordens executivas do governo anterior contra o TikTok e o WeChat. Seu antecessor, o presidente Donald Trump,  tinha como alvo os aplicativos de propriedade chinesa agosto passado, chamando seu amplo uso de “emergência nacional”.

De acordo com o novo pedido assinado por Biden, o Departamento de Comércio dos Estados Unidos deve avaliar regularmente os aplicativos vinculados a adversários estrangeiros como a China e tomar providências se estiverem determinados a apresentar um risco à segurança nacional. O pedido também fornece critérios para a identificação de aplicativos que podem representar “risco inaceitável” para a segurança nacional, de acordo com a Casa Branca.

O destino do TikTok nos EUA está no limbo desde o ano passado, quando Trump emitiu duas ordens executivas que citavam as práticas de coleta de dados do aplicativo como questões de segurança nacional. Uma das ordens executivas barrou as transações com a TikTok, enquanto a outra exigiu que a chinesa ByteDance vendesse os negócios do aplicativo nos Estados Unidos.

Os pedidos, que teriam efetivamente banido o TikTok, geraram uma corrida para encontrar um comprador para o aplicativo popular. A Oracle e o Walmart fecharam um acordo complexo que parecia ter a aprovação de Trump, mas não foi concluído antes de ele deixar o cargo. Esse negócio foi então  colocado em espera enquanto a administração Biden analisava os riscos de segurança representados pelo TikTok e outros aplicativos de propriedade chinesa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *